UFRJ desenvolve teste rápido para água contaminada.

Pesquisadores brasileiros desenvolvem sensor inovador para detecção de coliformes fecais na água

Pesquisadores brasileiros liderados pelo professor Marcelo Werneck, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia (Coppe/UFRJ), desenvolveram um sensor de fibra óptica nano-biotecnológico capaz de detectar contaminação por coliformes fecais na água em apenas 20 minutos. Financiado pela Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), o estudo foi publicado na revista Polymers.

Rapidez e eficácia na detecção de contaminação

Enquanto os métodos tradicionais de detecção podem levar até dois dias para fornecer resultados, essa nova tecnologia oferece uma solução rápida e eficaz para o monitoramento da qualidade da água, em um cenário de escassez global de fontes de água limpa. A fibra óptica do sensor funciona de maneira semelhante às usadas em telecomunicações, porém, com fibras ópticas plásticas que são mais acessíveis e fáceis de manipular. Essas fibras transmitem feixes de luz dentro do dispositivo, permitindo a detecção de alterações microscópicas causadas por bactérias.

Funcionamento do sensor

Para detectar a presença de bactérias Escherichia coli na água, os pesquisadores fixaram anticorpos específicos na superfície da fibra utilizando nanopartículas de ouro. Essa abordagem nanotecnológica aumenta a sensibilidade do resultado ao melhorar a aderência da armadilha de anticorpos. Além disso, o dispositivo conta com dois sensores de fibra óptica em paralelo, um com anticorpos e outro sem, permitindo a identificação seletiva da presença de bactérias sem interferências.

Perspectivas futuras e vantagens da tecnologia

O professor Werneck destaca que reproduzir o sensor em larga escala é viável e de baixo custo, visando desenvolver um protótipo final móvel e portátil para medições diretas em locais suspeitos de contaminação. Ele ressalta a importância de aumentar ainda mais a sensibilidade do sensor para garantir a segurança da água para consumo humano.

Benefícios da tecnologia de fibra óptica

Entre as vantagens da fibra óptica, Werneck destaca sua capacidade isolante na área elétrica, que elimina a necessidade de levar amostras para análises de laboratório. A portabilidade e rapidez de resposta do sensor permitem análises em campo, facilitando a detecção de contaminação por bactérias de forma ágil e eficiente.

Próximos passos da pesquisa

Um dos próximos passos da pesquisa é a conversão do equipamento de laboratório em um dispositivo de campo, portátil e robusto, com foco em tornar o sensor ainda mais compacto e sensível este ano. A equipe está empenhada em avançar nas pesquisas para disponibilizar uma tecnologia inovadora e acessível para o monitoramento da qualidade da água no Brasil.

Já segue o macuxi nas redes sociais? Acompanhe todas as notícias em nosso Instagram, Twitter, Facebook, Telegram e também no Tiktok